Últimos artigos

Leonid Afremov8

ENTARDECER

Não sei viver sem viverCom o odor e com as cores dos maresOnde navegam amores só meus [Não vejas veresAonde não há roupas sujasPara lavares Vê antes bem-me-queresOnde a excelência pretendeAfectos sempre cristalinos, claros] Quando declinado [de tão e...

Linha do Caminho

Na linha daquele caminho

Avisto sonhosAltivo, sublimeRevelado em mimSuponho efémero desejo.Na linha daquele tempoDesvairado, sombrio                                                                                                          Marcado, veladoSaio de mim inquietoSo...

Cristina de Sa5

OS TEUS OLHOS

Cintilam os cristais dos teus olhos,resplandecendo o teu rosto de seda!São tochas acesas as pupilas, queardem nas feições imaculadas...São teus olhos, sois que arrojamtodos os verões na pele súplice!Cintilam os cristais dos teus olhos,e acendem-se ca...

Mais artigos desta secção

A umas lágrimas de uma despedida

Quando de ambos os céus caindo estavaO rico orvalho, em pérolas formado,E sobre as frescas rosas derramado,Igual beleza recebia e dava.Amor que sempre...

Passagem

Com que palavras ou que lábiosé possível estar assim tão perto do fogoe tão perto de cada dia, das horas tumultuosas e das serenas,tão sem peso por ci...

O Monstrengo

O mostrengo que está no fim do marNa noite de breu ergueu-se a voar;A roda da nau voou três vezes,Voou três vezes a chiar,E disse: «Quem é que ousou e...

Os Justos

Um homem que cultiva o seu jardim, como queria Voltaire.O que agradece que na terra haja música.O que descobre com prazer uma etimologia.Dois empregad...