Polícia “come” à grande e à francesa

.

Desde que um oficial da polícia, em Braga, foi castigado por dar umas boas castanholadas num indíduo que não queria arredar pé de um sítio em que não devia estar; desde que um GNR vê a vida virada do avesso por, inadvertida e casualmente, ter mandado desta para melhor o filho que um ladrão transportava escondido na bagageira do carro, os polícias e outros agentes da autoridade estão ser vítimas das mais disparatadas, obtusas e aviltantres agressões.

Não estranha, pois, que um vídeo em que se vê um polícia a ser agredido esteja a tornar-se viral nas redes sociais. O momento foi captado por telemóvel por um dos presentes no Jardim de Santa Catarina, em Lisboa.

As imagens estão a ser partilhadas no Facebook e terão sido filmadas há pouco mais de uma semana. Vê-se um elemento da PSP de Lisboa que tenta dominar um indivíduo que resiste à imobilização e agride o elemento policial. De acordo com as mensagens que acompanham as partilhas nas redes sociais, o policia foi acusado de agressão, o que está a indignar os policias.

O Ponney está a tentar confirmar a data em que foram captadas as imagens e se o polícia foi efetivamente alvo de queixa por ofensas à integridade física.

Pensamos que o assunto desta e de outras agressões; de vexames escandalosos, e condenações absurda só voltarão à normalidade quando  os polícias e outras autoridades que andam a ser enxovalhadas “pegarem” nos elementos do mistério público e correlativos judicias e os puserem a fazer segurança aos cidadãos.

Esta é nossa proposta, com requerimento aos “móres” da PSP, da GNR e apêndices, bem como ao “farto” – esse sim com bom cabedal – cabrita, o tal que condenou à rua, ao sol, ao frio e à chuva – quem dera que viesse! -  os gnrs que lhe guardavam a casa, devido a inquietude que provocavam no seu cão de guarda, que, por acaso, nem inscrito no PAN está.

Valha-nos Santo Ambrósio.