O Sorriso das Pétalas Amarelas – A cigarra das nossas ruas

cigarra-e-formiga.jpg

« ... Sim, sou a cigarra da minha e da tua rua, e porventura doutras que não conheces, e que mal tem ser divertida e cantora e bonita e bailarina? Sim, que mal tem? Quem incomodo por ser assim feliz e sorridente no seio desta gente carrancuda, infeliz por não fazer o que lhe apetece fazer, por não dizer o que lhe apetece dizer? Que mal tem ser como eu sou, se é assim que eu quero ser? Que mal tem eu afirmar berrando em tons de cauteleiro «não “roubles” aos outros o que não gostas que te “roublem” a ti»?

Pois a mim ninguém surripia este meu jeito brejeiro de ser, que comentem que critiquem que difamem, que isso é mal de inveja que não me apoquenta, com macambúzios posso eu bem!

Quero sol, quero sorriso, quero beleza, um aninho inteiro e muitos mais, contínuos, para ter todo o tempo que quero ter para viver assim como quero viver!

E a praia, ah! a praia e as ondas e o cheiro a maresia, e os biquínis marotos que uso e que a uns quantos acirram, mesmo sem eu deixar que me toquem porque só me toca quem eu quero!

E como adoro estas ondas que se enrolam na areia onde rebolo sem malícia, porque é com estes calores e com esta alegria que vivo indiferente à gente que me observa descontente consigo própria e com a vida e com o mundo!

E um dia terei uma conversa séria com a porra da formiga, que insiste em subjugar-se a trabalhos precários como nunca se viu (sempre com a desculpa de ter de amealhar para o inverno quando também é do verão que gosta e dele não usufrui), e até talvez um dia - quem sabe - se proporcione encontrar um tal de La Fontaine, a quem mandarei com o sorriso mais rasgado que a natureza me der dar uma volta aonde ele não imaginará e, também, talvez me salte a tampa e o encaminhe para a “mãe” que o pariu!

Sim, que mal tem ser como eu sou, uma cigarra linda, bailarina e cantante e feliz e sorridente e amante do calor e do verão? Que mal tem? ... »

Luís Gil Torga.