Grafitador

 

Resultado de imagem para paredes do museu machado de castro sujas com grafites

 

Disseram-te que isto era arte?

 A sério? E tu acreditaste? Achas-te um artista?

Andas tão iludido…

 Não lamento desiludir-te. Enganaram-te, são só rabiscos, feios, porcos, despropositados e que refletem o teu estado de espírito, acéfalo, abjeto, merdoso. Como tela deveriam ter uma lixeira, uma subcave abandonada ou um monte de entulho.

 Quem te deu a ideia de que podias vandalizar património com a tua “arte” reles  ó escarro?

Disseram-te que podias vandalizar paredes em nome de quê? O que é que tu, reles como cidadão, podes evocar para justificar o teu comportamento? Arte já se viu que não é. Jeito para pintar também não tens. Penso que para que consigas sujar as paredes da cidade como extensão do excremento que és deves ter de beber para ter coragem ou ter de fumar qualquer coisa que te liberte. É impossível fazer isto sem ter um déficit de discernimento, de cidadania, de bom senso e de humanidade. És uma má pessoa, és pouco recomendável, tens de ser perseguido, apanhado e colocado numa situação que impeça que continues a fazer tamanho atentado ao património coletivo. Tenho um conselho para ti, verme do pincel, ténia da trincha, larva da lata, tenta beber água, que é pura e cristalina e tenta colocar mais tabaco no charro da próxima vez que pensares em conspurcar uma parede. Pode ser que, sem estares anestesiado, consigas ainda sentir dor, não a dor dos murros que merecias nesses cornos, mas a dor pelo mal que infliges a todos ao pichar paredes que não mereces tocar, não mereces admirar, de que não mereces sequer aproximar-te.

. Se um dia por mero acaso te apanhar em flagrante tentarei seguir-te, ver onde moras, saber quem te rodeia e aí te expor ao ridículo, junto dos teus, junto dos que pensam que és artista, que és decente, que és um de nós. Não, não és e como não mereces ser, nesse dia, eu picharei a tua reputação, a tua aura, a tua honra, o teu mundo

. Olho por olho, dente por dente.

 Já esteve mais longe… assim as autoridades quisessem!

Rui Rodrigues

Coimbra

Imagens retiradas do blog A Cerca de Coimbra -Museu Machado de Castro